O De Tomaso Pampero é um protótipo construído pela Ghia em 1966 e desenhado por Giorgetto Giugiaro, quando este trabalhava para esse estúdio de design. É um automóvel descapotável de duas portas e dois lugares, com motor central. O nome Pampero vem de um vento, que sopra nas Pampas, na Argentina.

Foi desenvolvido como sendo a versão “aberta” do De Tomaso Vallelunga, mas com dimensões ligeiramente diferentes e uma carroçaria completamente nova. Giugiaro prolongou a distância entre eixos em 15 mm, para os 2350 mm, mas de resto o chassis estava praticamente original. A dianteira é idêntica ao De Tomaso Mangusta, mas com faróis duplos, atrás da grelha, ou seja, de difícil acesso.

A traseira é muito semelhante à do Fiat 850 Spider, desenhado também por Giugiaro, quando este estava ao serviço da Bertone. Um elemento que salta à vista, são as entradas de ar nos painéis traseiros. Estas não serviam somente para levar o ar para o motor, mas também como tampão de gasolina e de puxadores para abrir o capot. No interior, o painel de instrumentos tinha um desenho em V, facilitando a leitura do mesmo.

O motor que equipava o Pampero era um Ford Kent, de quatro cilindros em linha de 1.5L (1498 cc) e oito válvulas à cabeça OHV, debitava uma potência de 104 cv às 6500 rpm e 175 Nm de binário, às 3600 rpm. Estava equipado com dois carburadores Weber 40 DCOE2. A potência era enviada para as rodas traseiras, através de uma caixa manual de quatro velocidades. O peso rondava os 700 Kg e tinha uma velocidade máxima teórica de 189 km/h. Os pneus utilizados neste modelo eram 145/13 na frente e 175/13 na traseira.

Infelizmente o Pampero nunca chegou à fase de produção, tendo sido fabricado apenas um protótipo.

O conteúdo De Tomaso Pampero: O vento não soprou a seu favor aparece primeiro em Jornal dos Clássicos.

Fonte