As pessoas tendem a coleccionar veículos de que se lembram dos tempos de juventude – os automóveis que os pais guiavam ou mesmo os automóveis que sempre quiseram e não tiveram chances de comprar. No que toca à maioria dos entusiastas de veículos clássicos, as preferências automobilísticas começaram por recair nalguma insígnia célebre de Alemanha, Grã-Bretanha ou Itália.

Existem, ainda assim, outras escolhas meritórias no que se refere aos automóveis. A título de exemplo: automóveis clássicos checos. Alguma vez cogitou a hipótese de adquirir uma viatura Skoda? Trata-se de uma ideia, indubitavelmente, válida (em baixo damos boas razões para investir num veículo da marca de Mladá Boleslav).

Automóveis como o 130 RS ou o 130 LR lograram ser bem-sucedidos em competições de corrida. Pode, pois, afirmar-se que os Skodas possuem pedigree desportivo.

O design atractivo de modelos como 1000 MBX, 110 R e Rapid faz existir uma alternativa absolutamente interessante aos desportivos clássicos mainstream. Não obstante haver Skodas clássicos que podem ser obtidos por módicos valores, tratam-se de automóveis que estão rapidamente a encarecer e a tendência não parece ser o abrandamento.

E há ainda belos automóveis como o 130 LR ou o 130 RS, a sua raridade, a lembrança de terem conseguido inesperados êxitos no circuito internacional de competição, o visual cativante – tudo isso fá-los serem pretendidos por coleccionadores.

O conteúdo Porque estão os automóveis clássicos checos a valorizar? aparece primeiro em Jornal dos Clássicos.

Fonte